Pages

Aos olhos dela



Aos olhos dela

Sua beleza extraordinária me assustou.
Parecia um menininho no colegial indo encontrar seu primeiro amor.
Não sei explicar, pois toda a minha experiência tinha se perdido em meio aos seus sorrisos.
Em meio as nossas trocas de olhares.
Não sei, mas perdi toda a minha autoconfiança em quanto te olhava.
Perdi toda a minha maturidade em quanto você falava.
E meu maldito cérebro repetia baixinho, que você era de mais para mim.
Fiquei sem ação.
Queria te beijar, mas ao mesmo tempo tinha medo de receber um não.
Pensava em beber, para ver se a autoconfiança voltava.
Mas que tipo de homem eu sou?
Que tipo de homem recorre ao álcool?
O tipo de homem que enxergara a sua frente um par ideal.
Uma pessoa exuberante.
Ao qual não quer perder de jeito nenhum.
Ou melhor, ainda quer ganhar.
Pois não sei se é um jogo de ganhar ou perder.
Está mais para um jogo de aceitação.
De sim ou não.
Mas ganhei um sim.
Mesmo não tendo minha melhor apresentação.
Você gostou desse meu jeito falho.
Dessa minha versão defeituosa.
Que por sinal é a minha versão original.
Pois na sua frente não consegui vestir a mascara.
Na sua frente todas as minhas ações foram perdidas.
E eu tive que ser, o que sou.

Entre Cabelos e Barba

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

Nenhum comentário: